Quinta-feira, 4 de Maio de 2006
Quem é que pediu oposição?

A última Assembleia de Freguesia de Algueirão-Mem Martins, que se realizou no dia 27 de Abril, foi tudo menos morna. Apesar de pouco participada em termos de público (exceptuando cinco ou seis militantes do PS talvez estivessem presentes duas ou três pessoas do «verdadeiro» público), a Assembleia ficou marcada, ainda, quer pela extensão da ordem de trabalhos, quer pela qualidade de algumas intervenções. Começando, naturalmente, pela intervenção do deputado* do Partido Socialista Valter Januário, que num tom entusiasmante e com a total atenção das pessoas presentes demonstrou à Assembleia que o Presidente de Junta fala a duas velocidades: uma para a comunicação social, prometendo obras, anunciando projectos, publicitando as intenções do executivo; outra, menos activa, para a Assembleia de Freguesia, através da sua Informação Escrita referente a este primeiro trimestre. Isto de uma forma espirituosa e devidamente fundamentada com recortes de artigos da imprensa sobre o Presidente de Junta e o seu executivo. Claramente, um exemplo de um discurso de oposição cativante.

Mas quem pensava que a contestação ia ficar por aqui enganou-se. Já passava da meia-noite quando, o líder de bancada do PSD salta para o palanque e dá a conhecer à Assembleia a posição da sua bancada relativamente ao último ponto da ordem de trabalhos. Num discurso bem elaborado e fundamentado juridicamente, o deputado* explicou a razão pela qual o PSD iria votar contra uma proposta feita pelo Presidente de Junta, pertencente ao seu partido, que não tem na verdade legitimidade para a apresentar, pois esta deve ser antes apresentada em nome de todo o executivo. Outros pormenores marcavam, ainda, a proposta. No final, os partidos da «verdadeira» oposição agradeceram o tom moralista e a forma estruturada como o PSD manifestou o seu sentido de voto, concordando que não fariam melhor. Naturalmente, esse ponto foi chumbado após uma tentativa pública da Mesa de apurar responsabilidades. Decididamente, esta foi uma sessão animada.

Convém ainda salientar que a moção apresentada pelo PS relativamente ao 25 de Abril foi aprovada por unanimidade, como não poderia deixar de ser, tendo em conta o seu tema.

 

 

* O Presidente de Junta propôs no seu discurso que os membros das bancadas da Assembleia de Freguesia passassem a ser designados por deputados, já que os membros da Assembleia Municipal assim o eram e não estava escrito em lado algum que assim fosse.

publicado por Ana Silva Martins às 21:50
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
.posts recentes

. Karadzic, Mladic e outros...

. Máximas em época de exame...

. ...

. Como se safar de um assal...

. Pequenos Percalços...

. Why bother??

. Estatuto do Estudante

. Reviravoltas...

. Liberdades e 25 de Abril....

. Liberdade...

.arquivos

. Julho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Renovação: Que papel para...

. O Jogo do Ouro Negro

. A Poluição das Palavras

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds