Segunda-feira, 29 de Maio de 2006
Como avaliar um bom professor?

 

Após uma relativa acalmia na divulgação das reformas na educação, eis que surge mais uma medida polémica! De acordo com o Ministério da Educação, os pais poderão passar a avaliar os professores dos seus educandos. Curiosamente, tal medida transformou-se já numa piada entre professores. Pelos corredores das escolas ouvem-se professores a desculpabilizar-se, em determinadas situações, com o facto de serem, de futuro, avaliados pelos pais dos seus alunos..  E, claro, alunos descontentes prometendo vinganças a médio/longo prazo..

 

 Na verdade, há muito que se vinha a sentir a necessidade de avaliar a qualidade profissional dos professores. Todos nós, por mais que o queiramos esquecer, tivemos ao longo do nosso percurso escolar alguns maus professores. E, uns mais do que outros, nos sentimos de alguma forma prejudicados por isso. Agora não me parece é que a solução seja pôr os pais a avaliar os docentes. Por exemplo, que avaliação farão dos professores aqueles pais que, devido à sua ocupação profissional, não acompanham devidamente os seus filhos? É preciso ter em conta que, na maioria das turmas de 32 alunos, de uma escola vulgar, aparecem cinco ou seis nas reuniões de pais. Faz-me lembrar um inquérito sobre um projecto educativo que eu desconhecia e o qual fui obrigada a preencher.. Depois há aqueles pais que vão à escola ameaçar determinado professor que teve o desplante de repreender o seu filhinho hiper-problemático à frente de mais uns quantos miúdos da mesma idade.. Há ainda que ter em conta o grau de imparcialidade de um pai cujo filho teve uma nota abaixo daquela que gostaria, ainda que adequada.. Conseguirá ele resistir à tentação de chumbar o professor? Afinal de contas, se o papel dos professores é ensinar, perante uma má avaliação facilmente se conclui que o professor não cumpriu o seu papel.. Sobram uns poucos pais conscenciosos e que, quer porque acompanham o percurso escolar dos seus filhos, quer por falta de tempo, quer por medo de represálias, avaliarão de igual modo um bom e um mau professor, correndo-os a todos com a mesma «nota».

 

Enfim, polémicas áparte, o que gostaria mesmo de saber é se os pais vão proceder como os professores em relação aos alunos de 20. Neste caso, aos professores de 20.. É que com a tendência que há nas escolas públicas para guardar os vintes para o terceiro período, e às vezes para o quarto, pode ser que os respectivos pais guardem os vintes para o oitavo escalão.. E, nesse caso, mais vale aos professores mudarem-se para o ensino particular onde, tradicionalmente, não existem «tectos» e as notas são bastante inflaccionadas.. Com a vantagem de que não existirão Exames Nacionais para as nivelar...

publicado por Ana Silva Martins às 19:55
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Bruno a 29 de Maio de 2006 às 22:02
No 1º período não dão a nota justa porque não conhecem o aluno, no 2º dizem que preferem guardar a nota para o 3º porque é a que vai contar e no último não dão a nota porque a média dos dois anteriores não o permite. E agora? Amor com amor se paga?

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
.posts recentes

. Karadzic, Mladic e outros...

. Máximas em época de exame...

. ...

. Como se safar de um assal...

. Pequenos Percalços...

. Why bother??

. Estatuto do Estudante

. Reviravoltas...

. Liberdades e 25 de Abril....

. Liberdade...

.arquivos

. Julho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Renovação: Que papel para...

. O Jogo do Ouro Negro

. A Poluição das Palavras

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds